Início » Sala de Imprensa » Releases


A Logística da Companhia Vale do Rio Doce
Assessoria de Imprensa - 10/5
 
Com opções diferenciadas de serviços multimodais, a Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) é uma das principais provedoras de soluções logísticas para o mercado nacional. A Logística da Vale é responsável por 16% da movimentação de cargas do Brasil, 65% da movimentação portuária de granéis sólidos e cerca de 39% da movimentação do comércio exterior nacional.

Desde o ano 2000, a Logística da Vale mantém uma taxa de crescimento anual de 10% no transporte de cargas de terceiros. São 9,3 mil quilômetros de malha ferroviária, oito terminais portuários próprios, pátios e armazéns para atender segmentos importantes da economia brasileira, como siderurgia, agricultura, construção, produtos florestais, químicos, combustível, automobilístico e de bens de consumo.

No primeiro trimestre de 2004, os serviços de logística representaram 12,2% da receita da CVRD, totalizando R$ 332 milhões. A receita com transporte ferroviário alcançou R$ 261 milhões e com serviços portuários, R$ 71 milhões. As ferrovias Estrada de Ferro Carajás (EFC), Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM) e a Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) transportaram 6,236 bilhões de toneladas por quilômetro útil de carga geral para clientes, contra 5,622 bilhões no primeiro trimestre de 2003, com aumento de 10,9%.

Os produtos siderúrgicos e suas matérias-primas (carvão, ferro-gusa) representaram 52,2% do total movimentado, os produtos agrícolas 26,8% e combustíveis 10,2%. Os portos e terminais marítimos, nos Estados do Pará, Maranhão, Sergipe, Espírito Santo e Rio de Janeiro, movimentaram 6,396 milhões de toneladas de carga para clientes, com incremento de 14,7% ante o primeiro trimestre de 2003.

Em 2004, a Vale do Rio Doce investirá US$ 182 milhões na compra de locomotivas e vagões para a EFC e para a EFVM. Serão compradas 6 locomotivas e 1.257 vagões para o transporte de minério de ferro, e 12 locomotivas e 754 vagões para o transporte de carga de clientes da Logística da Vale. Também serão investidos US$ 130,6 milhões na compra de locomotivas (70) e vagões (1.167) para a FCA, somente para o transporte de carga de clientes.

As unidades operacionais da Logística Vale ficam nos estados do Maranhão, Sergipe, Pará, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Goiás e Brasília. Os principais serviços oferecidos são a otimização da cadeia logística, a informação logística, o transporte ferroviário e intermodal, a navegação costeira, incluindo os serviços de cabotagem e feeder, a movimentação portuária, a armazenagem e os serviços alfandegários. A Logística da Vale complementa suas operações com a utilização intensa do modal rodoviário.

Serviços da Logística da Vale do Rio Doce

FERROVIAS

Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM) - uma das mais modernas e produtivas ferrovias brasileiras, transporta cerca de 37% de toda a carga ferroviária do país. Com 905 quilômetros de extensão e uma frota de 15.376 vagões e 207 locomotivas, a EFVM transporta produtos siderúrgicos, carvão, fundentes, ferro-gusa, fertilizantes e farelo de soja. A EFVM conecta-se a Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), a ferrovia MRS, aos portos de Vitória (Terminal de Vila Velha, Paul, Codesa, Terminal de Granéis Líquidos, Terminal de Praia Mole) e ao Porto de Barra do Riacho, em Aracruz (ES). Este ano, a EFVM comemora cem anos. Desde a fundação da Companhia Vale do Rio Doce, em 1942, até dezembro de 2003 a ferrovia transportou mais de três bilhões de toneladas de minério e carga geral.

Estrada de Ferro Carajás (EFC) - opera na região norte do país, ligando o interior ao principal porto da região, o Ponta da Madeira, em São Luís (MA). Com 892 quilômetros de extensão e uma frota de 5.353 vagões e 100 locomotivas, a EFC transporta ferro-gusa, soja, combustíveis, veículos e bebidas. A EFC conecta-se as ferrovias CFN, Ferrovia Norte-Sul e ao Porto de Itaqui, também em São Luís (MA).

Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) - é a maior ferrovia do país em extensão, com 7.080 quilômetros. Atua em sete estados brasileiros: Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Sergipe e Distrito Federal, passando por 285 municípios. Com uma frota de 10.498 vagões e 435 locomotivas, a FCA transporta produtos siderúrgicos, fundentes, cimento, farelo de soja e ferro-gusa. Conecta-se as ferrovias Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM), MRS, CFN e Ferroban, além dos portos de Vitória (Terminal de Vila Velha, Paul, Codesa), Angraporto (Angra-RJ), Terminal de Aratu e Porto de Salvador (BA) e também o Porto Seco do Cerrado (Uberlândia).

Serviço Intermodal Trem Expresso - liga os principais centros econômicos do país: Vitória, Belo Horizonte, Uberlândia, Brasília, Anápolis, Goiânia, Ribeirão Preto, Campinas, Três Corações e Salvador. É utilizado para o transporte de bens de consumo, como bebidas, alimentos, eletroeletrônicos, higiene, limpeza, entre outros. As características do Trem Expresso são o serviço porta a porta, utilizando contêineres para armazenar as cargas transportadas na ferrovia e na ponta rodoviária; a regularidade dos horários dos trens e o comprometimento com o timing dos clientes.

PORTOS E TERMINAIS

A Logística da Vale possui oito terminais, 13 berços, 11 armazéns/silos para grãos e fertilizantes com capacidade de 418 mil toneladas e três armazéns cobertos para carga geral, totalizando 22.200 metros quadrados de área. O transporte de granéis sólidos é feito pelo Terminal de Praia Mole (TPM), Terminal de Produtos Diversos (TPD), Ponta da Madeira, Tubarão e Paul. Os granéis líquidos são transportados pelo Terminal de Granéis Líquidos (TGL). Já o transporte de contêineres e carga diversificada é feito pelo Terminal de Vila Velha (TVV) e Terminal Marítimo Inácio Barbosa (TMIB).

Terminal de Vila Velha (TVV) - (ES) - movimenta contêineres, carga geral e veículos utilizando áreas arrendadas à Codesa. Os principais produtos são contêineres e granito. O TVV está conectado a Estrada de Ferro Vitória a Minas, a Ferrovia Centro-Atlântica e as rodovias BR 262 e BR 101.

Terminal de Praia Mole (TPM) - (ES) - é utilizado para a descarga de carvão para abastecimento das usinas siderúrgicas ao longo do Corredor Sul e também de minério de ferro de Carajás para pelotização. O TPM conecta-se a Estrada de Ferro Vitória a Minas e as rodovias BR 262 e BR 101.

Terminal de Produtos Diversos (TPD) - (ES) - possui dois píers: um para grãos e outro para fertilizantes. O TPD conecta-se a Estrada de Ferro Vitória a Minas e as rodovias BR 262 e BR 101.

Terminal de Granéis Líquidos (TGL) - (ES) - especializado na movimentação de derivados do petróleo, como óleo diesel, MF380, óleo combustível e gasolina. O TGL conecta-se a Estrada de Ferro Vitória a Minas e as rodovias BR 262 e 101.

Cais de Paul - (ES) - especializado na movimentação de ferro-gusa. Conecta-se a Estrada de Ferro Vitória a Minas e as rodovias BR 262 e BR 101.

Terminal Portuário de Ponta da Madeira - (MA) - fica à margem leste da Baía de São Marcos, na Ilha de São Luís (MA). Os principais produtos movimentados em Ponta da Madeira são ferro-gusa e soja.

Terminal Marítimo Inácio Barbosa (TMIB) - (SE) - localizado em Barra dos Coqueiros (SE), é operado pela Vale do Rio Doce desde 1994. Os principais produtos movimentados são madeira, coque/carvão e trigo. O TMIB conecta-se a BR 225.

SERVIÇO RODOVIÁRIO

A Logística da Vale utiliza o modal rodoviário para oferecer soluções porta a porta aos clientes, complementando as operações logísticas.

NAVEGAÇÃO COSTEIRA

Os serviços de navegação costeira são oferecidos pela Docenave, empresa de navegação da Companhia Vale do Rio Doce.

Cabotagem & Mercosul: atende os portos de Buenos Aires a Fortaleza, passando por Rio Grande, São Francisco do Sul, Santos, Vitória, Salvador, Maceió e Suape. O serviço conta com quatro navios com freqüência de um navio a cada seis dias.

Feeder: com dois navios, o serviço oferece escalas a cada duas semanas nos portos de Itajaí, Santos, Rio de Janeiro
 
© 2009 - Vale. Todos os direitos reservados.