Fechamento de Mina e Uso Futuro

O planejamento integrado e sistêmico das etapas que compõem o ciclo de vida da mina favorece a otimização de processos e a gestão de riscos, além de ser essencial para o sucesso das atividades minerárias e para que o fechamento de mina possa ser realizado adequadamente.

Etapas do ciclo de vida de uma mina:
As ações de fechamento de um empreendimento minerário devem considerar os múltiplos atributos legais, ambientais e sociais relevantes para o processo, além das questões econômicas.
 

Fechamento de Mina:
O planejamento integrado e sistêmico, associado às etapas que compõem o ciclo de vida de minas, incluindo o fechamento de mina, é essencial à sustentabilidade dos territórios em que elas ocorrem. As ações de fechamento precisam ser previstas, assim como devem ser antecipadas as intervenções socioeconômicas para a minimização de impactos negativos na economia local e regional. 

Com o objetivo de garantir o sucesso dessas ações, a Vale estabelece um planejamento integrado por meio de uma equipe multidisciplinar. Assim, é possível promover a reintegração dos territórios minerados aos meios físico, biótico e socioeconômico, contribuindo para o desenvolvimento sustentável dessas localidades.

Para orientar sua estratégia e ações, a empresa conta com o Guia de Fechamento de Mina e outras diretrizes internas.  A empresa também participa do grupo de discussão para Fechamento de Mina do Conselho Internacional de Mineração e Metais (ICMM – International Council on Mining and Metals), que tem a participação de 23 empresas do setor.

A Vale acompanha e monitora todas as ações de fechamento de mina e reabilitação progressiva das suas unidades, por meio da gestão da correta da alocação de recurso. Em 2019, a empresa desembolsou aproximadamente R$ 150 milhões em atividades de fechamento definitivo e progressivo. 

Durante o ano de 2019, não houve atualização de Planos de Fechamento de Mina. Os Planos estão em linha com as boas práticas adotada pelo ICMM e legislação nacional. Para 2020, está planejado o desembolso de R$ 234 milhões para o descomissionamento de estruturas geotécnicas, civis e industriais e preparação para o fechamento de mina, sem considerar as atividades de descaracterização das barragens alteadas à montante.

Nossa Gestão

Durante a implantação e  nas etapas  iniciais de uma unidade operacional, a abordagem para o plano de fechamento é prognóstica e conceitual.  No decorrer da operação e definido o horizonte de fechamento, os estudos e os projetos evoluem de modo a alcançar as etapas detalhadas.

Para o sucesso desses projetos, a Vale estabelece um planejamento integrado por meio de uma equipe multidisciplinar. Assim, é possível promover a reintegração dos territórios minerados aos meios físico, biótico e socioeconômico, potencializando a concatenação das ações de fechamento entre as diferentes fases de um empreendimento mineiro e contribuindo com a cadeia de valor.

Em resumo, nossos objetivos para o fechamento de minas são:

 
 

Estabelecer as metodologias adequadas para a reparação ou mitigação dos impactos causados em todos os compartimentos ambientais (ar, água, solo, biota) e nas comunidades locais

 
 

Identificar os cenários de uso futuro, compatíveis com as vocações ambientais e socioeconômicas das áreas afetadas, buscando minimizar as interferências negativas e a potencializar as positivas

Descomissionamento:
É a fase do ciclo de vida da estrutura que se inicia com a confirmação de que a mesma já não é mais necessária no contexto operacional do empreendimento e, portanto, poderá passar por obras que visam o seu fechamento.
ISO 14001
A Vale tem o objetivo de atender aos requisitos de gestão ambiental, possibilitando o desenvolvimento das melhores práticas nas operações, por meio da implantação da ISO 14001. Ao fim de 2021, 46% de nossas operações já possuíam a certificação da ISO 14001. Nesse sentido, temos o compromisso estabelecido em nosso Plano de ação de Gaps ESG de ter todas nossas operações com certificação ISO 14001 até o fim de 2024.

Governança

O tema fechamento de mina tem posição especial na estratégia de negócio da Vale.

Gerência Executiva de Gestão Ambiental da Vale é responsável pela normatização da temática fechamento de mina e faz parte da segunda linha de defesa na gestão de riscos. Fornece subsídios para que as operações sejam encerradas de acordo com as melhores práticas e requisitos legais.

Para a área de Ferrosos, a Diretoria de Minas Fechadas trabalha na estabilização e descaracterização das estruturas geotécnicas existentes, garantindo o monitoramento contínuo. Também tem como prioridade a atuação para fechamento de minas e uso futuro com conceitos de valor compartilhado com a sociedade.

Provisão para Descomissionamento de Ativos e Fechamento de Mina

Elaboramos e revisamos, anualmente, uma estimativa de custo para descomissionamento de ativos (cavas, pilhas, barragens, instalações industriais etc), que segue a metodologia ARO - Asset Retirement Obligation com divulgação nos relatórios contábeis, que atende aos requisitos definidos pela International Accounting Standard (IAS) 37 e SEC – Securities and Exchange Commission e faz parte dos fluxos definidos pela empresa para atendimento à Lei Sarbanes-Oxley.

Para a Vale, o Fechamento de Mina e sua respectiva provisão configuram-se como ferramentas de planejamento da maior importância, dada sua permeabilidade em praticamente todos os processos associados aos empreendimentos minerários (pesquisa, implantação, operação e fechamento), e não apenas ao encerramento das atividades. São processos dinâmicos quanto ao conteúdo e ao grau de detalhamento, devendo, portanto, ser periodicamente atualizados, tendo em vista adequar-se às eventuais modificações das características socioambientais e culturais da sua área de influência das minas da empresa.

A Vale acompanha e monitora todas as ações de Fechamento de Mina e Reabilitação Progressiva das suas Unidades, fazendo a gestão da correta alocação do recurso. Para 2020, a Vale está planejando o desembolso de R$ 1,25 bilhão para o descomissionamento de ativos e preparação para o fechamento de mina.

Parcerias

 
 
A Vale participa do grupo de discussão para Fechamento de Mina do ICMM (“International Council on Mining and Metals”), que conta com a participação de 23 empresas do setor.
 
 
Patrocinou a publicação do Guia para Planejamento do Fechamento de Mina do IBRAM – Instituto Brasileiro de Mineração.

Políticas e Normas

Guia de Fechamento de Mina:

Estabelece diretrizes para que todas as unidades operacionais de mineração da Vale tratem o descomissionamento de ativos e o fechamento de mina em seus planejamentos, na forma de um Plano de Fechamento de Mina (PFM) específico. Este Plano deverá considerar as ações necessárias tanto para a descomissionamento progressivo de cada ativo, quanto para o fechamento do empreendimento propriamente dito, ao final da sua vida útil.

Provisão para descomissionamento de ativos:

Estabelece diretrizes e critérios para gestão da provisão para descomissionamento dos ativos Vale. Todos os ativos tangíveis de longo prazo, associados aos empreendimentos de mineração em implantação, operação, paralisados e encerrados da Vale e das empresas do Grupo Vale possuem provisão constituída.

Visão de Riscos

O ICMM (“International Council on Mining and Metals”) propõe a implementação de uma abordagem que as empresas de mineração controlem os riscos financeiros na etapa de fechamento da mina para que sejam eliminados os passivos ambientais e se possa deixar um legado ambiental e social positivo para a sociedade após o encerramento das atividades minerárias.

Perspectivas

A temática "fechamento de mina" na Vale possui os seguintes pilares de atuação:

Business Case

A Vale, desde 2014, vem realizando o fechamento progressivo de seus ativos. Vários já foram descomissionados, a exemplo dos ativos da Mina de Águas Claras, que está em processo de fechamento.

Recuperação da Mina de Águas Claras

A extração de minério de ferro na Mina de Águas Claras, localizada no município de Nova Lima – MG, ocorreu entre 1973 e 2002. A mina pertencia à Mineração Brasileiras Reunidas(MBR), adquirida pela Vale em 2006.

Atualmente, a unidade é utilizada como área administrativa da companhia em Minas Gerais e abriga cerca de 2 mil funcionários, além disso a mina encontra-se em processo de fechamento, onde já foram realizadas diversas atividades, dentre as quais:

 
 
Contenção de erosão
 
 
Instalação de drenagens para escoamento das águas da chuva
 
 
Cobertura vegetal com espécies nativas
 
 
 Descomissionamento e descaracterização de ativos

O planejamento integrado e sistêmico das etapas que compõem o ciclo de vida da mina favorece a otimização de processos e a gestão de riscos, além de ser essencial para o sucesso das atividades minerárias e para que o Fechamento de Mina e o Uso Futuro possam ser realizados adequadamente. 

Etapas do ciclo de vida de uma mina: 

Dessa forma, o processo de fechamento de mina deve ocorrer paralelamente à operação, minimizando riscos, custos e garantindo um espaço seguro e estável à longo prazo. Em paralelo acontece também o planejamento para Uso Futuro, que busca identificar e potencializar oportunidades de geração de valor aos territórios.  

Fechamento de Mina e Uso Futuro:
A gestão sustentável de um empreendimento minerário envolve o planejamento e gerenciamento do encerramento de seus ativos, bem como atividades que vão além do cumprimento de exigências legais após a conclusão das operações, envolvendo a avaliação de aspectos ambientais, sociais, econômicos e de governança durante todo o ciclo de vida. 

O Fechamento de Mina é visto na Vale como um processo que requer níveis satisfatórios de previsão, habilidade, experiência operacional, motivação, planejamento e gerenciamento, que com a adoção das melhores práticas, aplicadas no momento adequado, podem prevenir, mitigar ou eliminar os possíveis impactos da operação e do Fechamento das Minas. 

O Uso Futuro visa a ressignificação dos espaços pós-mineração por meio de oportunidades alinhadas às vocações territoriais e com criação de valor compartilhado, que possa gerar benefícios sociais e econômicos.  

Com o objetivo de garantir o sucesso dessas ações, a Vale estabelece um planejamento integrado por meio de equipes multidisciplinares. Assim, é possível promover a reconversão dos territórios minerados considerando os aspectos físicos, bióticos e socioeconômicos, contribuindo para o desenvolvimento sustentável das localidades em que a Vale está presente.

Para orientar sua estratégia e ações, a companhia conta com normativos de planejamento do fechamento e outras diretrizes internas.  A empresa também participa do grupo de discussão para Fechamento de Mina do Conselho Internacional de Mineração e Metais (ICMM – International Council on Mining and Metals). 

 Todos os planos de Fechamento de Mina estão em linha com as boas práticas adotada pelo ICMM e legislação nacional, com a Resolução 68 da ANM  e a Deliberação Normativa 220, esta última aplicável ao estado de Minas Gerais. 

 

Nossa Gestão

Durante a implantação e nas etapas iniciais de uma unidade operacional, a abordagem para o plano de fechamento é prognóstica e conceitual.  No decorrer da operação e definido o horizonte de fechamento, os estudos e os projetos evoluem de modo a alcançar as etapas detalhadas. 

Desta forma, à medida que o tempo avança (ciclo de vida), dispõe-se de graus diferenciados de conhecimento e controle, minorando-se os riscos e as incertezas no quesito Fechamento de Mina, detalhando as vocações de Uso Futuro e contribuindo com a cadeia de valor.

Neste contexto, no que tange as possibilidades de Uso Futuro, é considerada uma visão integrada do território em termos de restrições e oportunidades. Temos o grande desafio de estruturar a governança desses processos e construir junto à sociedade propostas de Uso Futuro e ressignificação dos espaços minerados para o uso compatível com as vocações ambientais e socioeconômicas das áreas onde atuamos.  

Em resumo, nossos objetivos para o Fechamento de Mina e Uso Futuro são: 

 
Estabelecer as metodologias adequadas para a reparação ou mitigação dos impactos causados em todos os compartimentos ambientais (ar, água, solo, biota) e nas comunidades locais.
 
Identificar os cenários de uso futuro, compatíveis com as vocações ambientais e socioeconômicas das áreas afetadas, buscando minimizar as interferências negativas e a potencializar as positivas.

Descomissionamento:
É o processo do ciclo de vida da estrutura que está relacionado ao encerramento das atividades em uma mina. O descomissionamento pode ser total (desativação ou descaracterização da estrutura como um todo) ou progressivo (fechamento parcial de um ativo específico durante sua vida útil).

ISO 14001
A Vale tem o objetivo de atender aos requisitos de gestão ambiental, possibilitando o desenvolvimento das melhores práticas nas operações, por meio da implantação da ISO 14001. Ao fim de 2021, 46% de nossas operações já possuíam a certificação da ISO 14001. Nesse sentido, temos o compromisso estabelecido em nosso Plano de ação de Gaps ESG de ter todas nossas operações com certificação ISO 14001 até o fim de 2024.

Governança

Os temas Fechamento de Mina e Uso Futuro tem posição especial na estratégia de negócio da Vale. 

A Gerência Executiva de Gestão Ambiental da Vale é responsável pela normatização da temática Fechamento de Mina e faz parte da segunda linha de defesa na gestão de riscos. Fornece subsídios para que as operações sejam encerradas de acordo com as melhores práticas e requisitos legais. 

A Diretoria de Geociências  trabalha na indicação das atividades de estabilização, descaracterização e recuperação das estruturas geotécnicas e industriais existentes, garantindo inclusive as atividades de monitoramento e manutenção no pós-fechamento.  
Já a Vice-Presidência de Sustentabilidade tem como prioridade a atuação para planejamento do Uso Futuro com conceitos de valor compartilhado com a sociedade e negócios de impacto positivo, definindo diretrizes e ferramentas que também orientem o diálogo e o engajamento com os stakeholders para as questões relacionadas ao futuro dos territórios.
Conselhos e Comitês

A temática Fechamento de Mina e Uso Futuro é periodicamente tratada no Conselho de Administração, elo entre os acionistas e a gestão, no Conselho Fiscal, órgão fiscalizador independente da Diretoria Executiva e do Conselho de Administração e também no Comitê de Auditoria, órgão de assessoramento do Conselho de Administração da Vale, tendo como objetivo supervisionar a qualidade e integridade dos relatórios financeiros, a aderência às normas legais, estatutárias e regulatórias, a adequação dos processos relativos à gestão de riscos e as atividades dos auditores internos e independentes.

Provisão para Descomissionamento de Ativos e Fechamento de Mina

A Vale elabora e revisa, anualmente, uma estimativa de custo para descomissionamento de nossos ativos (cavas, pilhas, barragens, instalações industriais etc), que segue a metodologia ARO - Asset Retirement Obligation, com divulgação nos relatórios contábeis, que atende aos requisitos definidos pela International Accounting Standard (IAS) 37 e SEC – Securities and Exchange Commission e faz parte dos fluxos definidos pela empresa para atendimento à Lei Sarbanes-Oxley. 

Para a Vale, o Fechamento de Mina e sua respectiva provisão configuram-se como ferramentas de planejamento de grande importância, dada sua permeabilidade em praticamente todos os processos associados aos empreendimentos minerários (pesquisa, implantação, operação e fechamento), e não apenas ao encerramento das atividades. São processos dinâmicos quanto ao conteúdo e ao grau de detalhamento, devendo, portanto, ser periodicamente atualizados. 

A Vale acompanha e monitora todas as ações de fechamento de mina e reabilitação progressiva das suas unidades, fazendo a gestão da correta alocação do recurso. Em 2022, a empresa desembolsou aproximadamente R$ 500 milhões em atividades de fechamento definitivo e progressivo.  

Parcerias

 
A Vale participa do grupo de discussão para Fechamento de Mina do ICMM (“International Council on Mining and Metals”), que conta com a participação de 23 empresas do setor.
 
Patrocinou a publicação do Guia para Planejamento do Fechamento de Mina do IBRAM – Instituto Brasileiro de Mineração.
 
 
A Vale coordena o Grupo de Trabalho de Mitigação de Impactos Ambientais, relacionado a Carta Compromisso do IBRAM perante à sociedade, onde são tratadas as temáticas biodiversidade, mudanças climáticas e Fechamento de Mina.

Políticas e Normas

Guia de Fechamento de Mina:

Estabelece diretrizes para que todas as unidades operacionais de mineração da Vale tratem o descomissionamento de ativos e o Fechamento de Mina em seus planejamentos, na forma de um Plano de Fechamento de Mina específico. Este Plano deverá considerar as ações necessárias tanto para a descomissionamento progressivo de cada ativo, quanto para o fechamento do empreendimento propriamente dito, ao final da sua vida útil, além de todos os aspectos físicos, bióticos e socioeconômicos. 

Provisão para Descomissionamento de Ativos:

Estabelece diretrizes e critérios para gestão da provisão para descomissionamento dos ativos da Vale. Para todos os ativos que possuem vida útil tangível de longo prazo, associados aos empreendimentos de mineração em implantação, operação, paralisados e encerrados da Vale e das empresas do Grupo Vale possuem provisão constituída. 

Engajamento Social 

O modelo de Atuação Social da Vale, que inclui a atuação para as questões relacionadas a Fechamento de Mina, efetiva-se por meio da gestão de riscos e impactos sobre as comunidades e pela promoção de legado social positivo. 
No que tange o engajamento com as partes interessadas para Fechamento de Mina e Uso Futuro, as discussões são incorporadas em todas as etapas do ciclo de vida do empreendimento. Nesse sentido, na elaboração do plano de engajamento para o Fechamento, são englobado todo o histórico de relacionamento e engajamento das partes interessadas ao longo das etapas anteriores do SLOM (Sustainable Life Of Mining). 

Neste contexto para viabilizar a execução dos processos de engajamento durante a fase de Fechamento de Mina, a Vale define diretrizes que permeiam desde a garantia dos direcionadores estratégicos do negócio para o Fechamento e Uso Futuro considerando as partes interessadas internas na definição da visão e princípios de Fechamento e Uso Futuro para até o envolvimento das partes interessadas sejam para a avaliação acerca das possibilidades de Uso Futuro, avaliação dos riscos socioterritoriais e na elaboração do Plano para Gestão dos Ativos/Estruturas conforme alternativas de Uso Futuro definidas. 

O modelo de Atuação Social da Vale, que inclui a atuação para as questões relacionadas a fechamento de mina, efetiva-se por meio da gestão de riscos e impactos sobre as comunidades e pela promoção de legado social positivo. 

No que tange o engajamento com as partes interessadas para fechamento de mina e uso futuro, as discussões são incorporadas em todas as etapas do ciclo de vida do empreendimento. Nesse sentido, na elaboração do plano de engajamento para o Fechamento, são englobado todo o histórico de relacionamento e engajamento das partes interessadas ao longo das etapas anteriores do SLOM (Sustainable Life Of Mining). 

Neste contexto para viabilizar a execução dos processos de engajamento durante a fase de Fechamento de mina, a Vale define diretrizes que permeiam desde a garantia dos direcionadores estratégicos do negócio para o Fechamento e Uso Futuro considerando as partes interessadas internas na definição da visão e princípios de Fechamento e Uso Futuro para até o envolvimento das partes interessadas sejam para a avaliação acerca das possibilidades de Uso Futuro, avaliação dos riscos socioterritoriais e na elaboração do Plano para Gestão dos Ativos/Estruturas conforme alternativas de Uso Futuro definidas. 

  

Apoio ao Desenvolvimento Territorial para fechamento de mina e uso futuro: 
O processo de apoio ao Desenvolvimento Territorial consiste em planejar, executar, monitorar e avaliar o impacto das ações/projetos estruturantes de investimento social, sejam elas voluntárias, mitigatórias ou obrigatórias. A melhoria contínua do processo busca o aprimoramento do uso de recursos, a alavancagem de resultados e a maximização dos impactos positivos da mineração, com estímulo à transformação local e à geração de valor compartilhado, conforme etapas da mineração sustentável (SLOM em inglês – Sustainable Life of Mine).
O Desenvolvimento Territorial parte de algumas premissas tais como: (i) a leitura da realidade social do território com informações internas e externas, a partir de uma visão sistêmica e integrada, (ii) a construção de capacidade social dos stakeholders, (iii) a promoção de parcerias intersetoriais entre empresas (setor privado), poder público (governos) e sociedade civil, (iv) o fomento a diversificação econômica, a igualdade de oportunidade social, e (v) a preservação e recuperação ambiental, alinhados ao plano de negócios da empresa.
Apoio ao Desenvolvimento Territorial para Fechamento de Mina e Uso Futuro:   

O processo de apoio ao Desenvolvimento Territorial consiste em planejar, executar, monitorar e avaliar o impacto das ações/projetos estruturantes de investimento social, sejam elas voluntárias, mitigatórias ou obrigatórias. A melhoria contínua do processo busca o aprimoramento do uso de recursos, a alavancagem de resultados e a maximização dos impactos positivos da mineração, com estímulo à transformação local e à geração de valor compartilhado, conforme etapas da mineração sustentável (SLOM em inglês – Sustainable Life of Mine). 

O Desenvolvimento Territorial parte de algumas premissas tais como: (i) a leitura da realidade social do território com informações internas e externas, a partir de uma visão sistêmica e integrada, (ii) a construção de capacidade social dos stakeholders, (iii) a promoção de parcerias intersetoriais entre empresas (setor privado), poder público (governos) e sociedade civil, (iv) o fomento a diversificação econômica, a igualdade de oportunidade social, e (v) a preservação e recuperação ambiental, alinhados ao plano de negócios da empresa. 

Visão de Riscos

O ICMM (“International Council on Mining and Metals”) propõe a implementação de uma abordagem que as empresas de mineração controlem os riscos financeiros na etapa de Fechamento da Mina para que sejam eliminados os passivos ambientais e se possa deixar um legado ambiental e social positivo para a sociedade após o encerramento das atividades minerárias. 

Perspectivas

As temáticas Fechamento de Mina e Uso Futuro na Vale possuem os seguintes pilares de atuação: 


Planejar

Estabelecer e unificar processos-chave


 


Inovar

Assunto novo para a companhia e relativamente inédito para o mercado nacional


 

 

Aculturar

“A cultura devora a estratégia no café da manhã” – Peter Drucker



 

Valor compartilhado

Valor do negócio + Valor social

  
 

Business Cases

Para as operações da Vale, a cocriação para o cenário de Uso Futuro é suportada por uma gestão de banco de dados integrados, que permite, ao mesmo tempo, analisar e priorizar o encerramento progressivo dos ativos, com um planejamento integrado das operações, bem como identificar as aptidões regionais que são a base para o avanço das avaliações de Uso Futuro. 

Atualmente, atuamos com um ciclo anual de planejamento e execução das ações de encerramento progressivo dos ativos e em estudos de aptidões e potencialidades de nossos territórios. Dentre os projetos de Uso Futuro em andamento, podemos destacar o da Mina Águas Claras (MAC) e o de partes do território do Complexo Itabira, ambos em Minas Gerais, Brasil. 
Mina de Águas Claras 

Localizada entre Nova Lima e Belo Horizonte, na região da Serra do Curral, a Mina Águas Claras foi paralisada em 2002, após 30 anos de operação pela MBR, e atualmente passa por obras de fechamento e descaracterização. 

Devido às especificidades do entorno — com condomínios de alto padrão, moradores de aglomerados, bairros com forte intensidade comercial, ao lado de zonas rurais e áreas de preservação ambiental — bem como à importância hídrica na região, o processo representa uma realidade complexa e multifacetada, que exige o envolvimento de uma pluralidade de atores e interesses. 

Em 2020, iniciamos o plano de Uso Futuro do empreendimento. Na ocasião, foi realizada uma pesquisa de percepção com 605 pessoas do grupo de stakeholders, incluindo a comunidade local, para identificar potencialidades e restrições de ocupação futura e expectativas da sociedade com relação à área, por meio de um estudo de percepção. O resultado apontou a valorização do capital natural da região como protagonista do processo de Uso Futuro, com potencial de uso social nas esferas de ecoturismo, lazer, conservação/educação ambiental, empreendimentos imobiliários e serviços. Com essa estratégia norteadora, os próximos passos envolvem os estágios de detalhamento de cenários e viabilização do Uso Futuro e a continuidade do processo de engajamento nas etapas de implantação das ações mapeadas. Já foram realizadas as seguintes atividades na unidade:
 
Estudo de percepção, para construção dos cenários de Uso Futuro de forma participativa, por meio da escuta e do envolvimento dos diversos atores da sociedade.
 
 
Instalação de drenagens para escoamento das águas da chuva e contenção de erosões.

 
 
Cobertura  vegetal 
com espécies nativas.
 
Descomissionamento e  descaracterização de  ativos.
 
 
Estudo de desenvolvimento local, para a compreensão das dinâmicas socioeconômicas e culturais do território.
 
Uso Futuro do território é tema de dia de lazer na Mina de Águas Claras 
A Mina de Águas Claras, foi o cenário do evento “Um dia de Lazer” realizado pela nossa empresa. O evento faz parte do projeto de Uso Futuro do território, e foi uma oportunidade para que a comunidade pudesse conhecer a MAC, aproximar a sociedade da empresa e contribuir para a construção do projeto que transformará o território minerado em um legado de sustentabilidade para a sociedade.
O encontro contou com uma oficina de terrário e outras atividades para crianças 
Cerca de 300 participantes, entre empregados  Vale e comunidade, assistiram a apresentações culturais de grupos das comunidades vizinhas  como  Cobra Coral, Lá da Favelinha e Meninas de Sinhá, e puderam participaram da Oficina de Terrário, ministrada pela Educação Ambiental Vale. Além disso, puderam conhecer mais sobre o Projeto de Uso Futuro da MAC, que irá ressignificar os espaços antes dedicados à mineração e que voltarão a fazer parte do cotidiano da comunidade de maneira mais sustentável. 

O encontro contou com uma oficina de terrário e outras atividades para crianças  

Apresentação do grupo Meninas de Sinhá 

Apresentação do grupo Meninas de Sinhá  
Minas em Itabira  
Itabira é a cidade em que a Vale nasceu, em 1942. Hoje, estamos operando e ao mesmo tempo  buscamos possibilidades para seguir com nossas atividades operacionais, mas já convergindo, de uma forma responsável e sustentável, atuando em áreas já em processo de fechamento, por meio de projetos de Uso Futuro e transição para o pós-mineração de forma gradual. O objetivo é contar com a participação ativa da comunidade e corresponder às aspirações da sociedade itabirana. 
Na etapa inicial, buscamos avaliar as potencialidades e restrições de Uso Futuro prioritariamente em uma área do território na Bacia Pontal/Doze, cercada por zona urbana e em parte por zona rural, que dispõe de ativos já em fase de encerramento. Durante o estágio de conhecimento da região, foram identificadas diversas interferências naturais e pressões socioeconômicas no entorno, dentre elas, vetores de expansão urbana, presença de comunidades vulneráveis, fragmentos de mata protegida, bem como áreas de interesse e importância sociocultural, que foram compiladas em uma base territorial integrada. 
Realizamos, em 2020, uma pesquisa para entender a relação entre a comunidade e as áreas de conservação – ativos do capital natural – que hoje estão sob nossa responsabilidade. A partir dela, foram mapeadas iniciativas com potencial para conciliar conservação ambiental, criação de valor compartilhado e sustentabilidade financeira.

Em 2021, a Vale e a Prefeitura de Itabira estabeleceram um grupo para planejamento, priorização e integração das atividades a serem realizadas pela companhia no município. A companhia forneceu o serviço de uma consultoria especializada com o objetivo de construir uma estratégia de curto, médio e longo prazos para direcionar o desenvolvimento sustentável do município, ordenando as ações em curso, concatenando-as com as perspectivas futuras esperadas para o município de Itabira no que tange à minero-dependência. Já foram realizadas as seguintes atividades nas minas de Itabira. 
 
Fechamento Progressivos de ativos.
 
 
Descaracterização de barragens.
 
 
A Avaliação do Capital Natural para entendimento da relação entre a comunidade e as áreas de conservação.
 
 
Criação de grupo para planejamento com a Prefeitura de Itabira.
 

Leia Também

Resíduos

Incentivamos a geração de emprego e renda a partir de práticas de reciclagem

Leia mais

Nossa Estratégia e Compromissos

Conheça os pilares que norteiam a nossa estratégia

Leia mais