Fechar Fechar

Funcionária da Vale sorrindo em paisagem verde. Ela veste uniforme verde
da vale, oculos, capacete e protetores auriculares Artefato visual de onda Vale
com.liferay.portal.kernel.util.DateUtil_IW@79a83209
Fotógrafo: Vitor Nogueira
com.liferay.portal.kernel.util.DateUtil_IW@79a83209
Fotógrafo: Vitor Nogueira

Vale em Minas Gerais

Minas Gerais é o berço da Vale e segue retratando o espírito com que encaramos os nossos desafios do presente.

O estado é responsável por mais da metade da nossa produção de minério de ferro com 20 minas em operação. Por ali, também passa a Estrada de Ferro Vitória a Minas, com 905 km de extensão e mais de 60 mil hectares de áreas preservadas no quadrilátero ferrífero.
seta-direita Deslize a tela para ver mais

Balanço Vale +

Eliminação de estruturas a montante

Concluímos as obras de eliminação de mais duas estruturas construídas pelo método a montante em Minas Gerais: a barragem Baixo João Pereira, na Mina Fábrica, em Congonhas, e o dique 4 da barragem Pontal, em Itabira. 12 das 30 barragens, mapeadas em Minas e no Pará, já estarão descaracterizadas ao fim de 2022. Mais que uma obrigação legal, eliminar as barragens a montante é um compromisso. Outro destaque da atuação da Vale em Minas Gerais foi o Projeto Asas (Áreas de Soltura de Animais Silvestres), no qual animais selvagens, vítimas de tráfico, cativeiro irregular, atropelados e até feridos por linhas de cerol, são acolhidos e tratados. Além disso, estamos trabalhando no Projeto Apolo, que consiste na implantação de uma nova unidade operacional, para produção de 14 milhões de toneladas de minério de ferro por ano.
Fotógrafo: Ricardo Teles
Onda

Visite a Vale de onde estiver 

Nossas iniciativas 

Navegue pelas abas e conheça mais sobre nossas ações na região 

Fotógrafo: Ricardo Teles

Conheça o Estudo de Impacto Ambiental – EIA referente ao projeto que visa subsidiar a regularização e autorização para intervenção emergencial de Supressão de vegetação para obras de estabilização da ombreira direita - barragem Capitão do Mato, Nova Lima-MG.
Conheça o Estudo de Impacto Ambiental – EIA referente ao projeto que visa subsidiar a regularização e autorização para intervenção emergencial de supressão de vegetação para reconformação topográfica de talude próximo à barragem Maravilhas III, localizada na Mina do Pico, município de Itabirito/MG, devido a escorregamentos do terreno que ocasionou na supressão de vegetação nativa no bioma mata atlântica, em estágio médio e avançado de regeneração
Conheça o Estudo de Impacto Ambiental – EIA referente ao projeto de reaproveitamento sustentável de bens minerais dispostos na barragem Xingu, situada no município de Mariana/MG e que pertence a Mina de Alegria, da empresa Vale S.A. O projeto de reaproveitamento faz-se necessário, principalmente, por ser uma das etapas de descaracterização da barragem Xingu, além de ser uma oportunidade para a redução do volume remanescente de rejeitos provenientes deste processo, visando eliminar a necessidade da formação de uma nova pilha. A documentação encontra-se protocolada nos órgãos ambientais competentes para análise de concessão das licenças necessárias à sua regularização:
Conheça os estudos ambientais relativos à solicitação de licença ambiental para execução de sondagens geológicas em área próxima à Mina Água Limpa, no município de Rio Piracicaba. O objetivo da sondagem é realizar pesquisa mineral para avaliar o potencial de ocorrência de minérios. Após sua realização e verificado potencial para futura exploração, será necessário o desenvolvimento de projeto para um processo de licenciamento específico. Abaixo você pode acessar o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e sua síntese, o Relatório de Impacto Ambiental (RIMA).
O Projeto Jacutinga está localizado no município de Santa Bárbara, na região próxima à Mina de Água Limpa, e tem por objetivo a realização de pesquisa mineral. Consulte o Relatório de Impacto Ambiental do projeto.
Conheça os estudos relativos ao “Licenciamento ambiental corretivo das obras emergenciais decorrentes da ruptura da Barragem da Mina Córrego do Feijão e recuperação ambiental de sua área de influência”.

Sobre a atividade em licenciamento

O licenciamento corretivo trata das obras emergenciais que serão ou que estão sendo executadas nas áreas afetadas diretamente pela ruptura da barragem de rejeitos B1, da Mina Córrego do Feijão, localizada em Brumadinho. As obras têm o objetivo de conter o deslocamento dos rejeitos e sedimentos, assim como preparar a recuperação ambiental do ribeirão Ferro-Carvão e do rio Paraopeba.
Conheça os estudos ambientais referentes à solicitação de licença ambiental para o Projeto de Sondagem Geotécnica da Pilha de Disposição de Rejeito Filtrado - PDR Tamanduá.

Sobre a atividade em licenciamento

A solicitação de licença é para a realização de sondagem geotécnica necessária para o desenvolvimento dos projetos de engenharia da Pilha de Disposição de Rejeito Filtrado - PDR Tamanduá e estruturas auxiliares, que vem sendo estudada dentro do contexto das operações da Mina Brucutu, localizada nos municípios de São Gonçalo do Rio Abaixo e Barão de Cocais.

As atividades de sondagem geotécnica possibilitam a investigação do subsolo e fornecem os parâmetros necessários para a caracterização dos materiais de fundação, terraplenagem e definição de áreas de empréstimo. Para isso, é usado equipamento para perfurar e obter amostras de solo e rochas e também delimitar o nível do lençol freático da área em que se pretende desenvolver o projeto.
Conheça o Estudo de Impacto Ambiental – EIA/RIMA referente ao projeto de Ampliação Cavas Capitão do Mato e Tamanduá, localizadas na cidade de Nova Lima. Trata-se da ampliação das cavas de Tamanduá e Capitão do Mato, em operação, para manutenção dos atuais patamares de produção do Complexo Vargem Grande. A documentação encontra-se protocolada nos órgãos ambientais competentes para análise de concessão das licenças necessárias à sua implantação.
O Projeto Ampliação Água Limpa prevê a manutenção das atividades da empresa nessa unidade, com a extensão da vida útil da operação de lavra na extração de minério de ferro até 2029. A partir de 2022, esse projeto torna-se fundamental para a continuidade das operações. Além da expansão da cava Morro Agudo, o projeto prevê também a expansão da pilha de estéril Nova Cururu e novas pilhas que ainda estão em estudo. Não será necessária nenhuma infraestrutura de apoio adicional e tão pouco obra de implantação pois trata-se de projeto para manter as atuais taxas de produção. Toda infraestrutura existente atualmente no Complexo Água Limpa comporta o projeto de Expansão

Nesse sentido, a empresa ‘Sete Soluções’ foi contratada para realizar estudos ambientais na região. O objetivo é conhecer a área para compatibilizar o interesse na ‘Ampliação de estruturas na Mina Água Limpa’ com o ambiente onde a unidade produtiva está inserida. Os trabalhos serão iniciados em julho de 2020 e se estendem até o final do ano. Para isso, pesquisadores acessarão a área de interesse para coletar informações sobre a fauna e a flora, dentre outras características do ambiente. Além disso, serão realizadas entrevistas com lideranças formais e informais das localidades para a busca da percepção sobre os diversos aspectos socioeconômicos e ambientais.

Com a conclusão desses estudos e a confirmação de viabilidade, a Vale buscará a obtenção das devidas licenças junto aos órgãos competentes, assim como tornará formal junto à sociedade e todas as partes interessadas seu interesse na implementação do projeto . Reforçamos nosso compromisso com a condução de nossos negócios baseada em relações transparentes, pautadas pelo diálogo e respeito mútuo nos colocando à disposição para mais esclarecimentos.
Conheça o Estudo de Impacto Ambiental – EIA referente ao projeto que visa subsidiar a regularização e autorização para intervenção emergencial de supressão de vegetação para as obras emergenciais de interligação do desvio da BR-356/MG necessárias à descaracterização da barragem Vargem Grande.
Conheça o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e respectivo Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) referente ao projeto que visa subsidiar a regularização ambiental da Estrutura de Contenção a Jusante (ECJ) Gongo Soco, Barragem Sul Superior localizada no município de Barão de Cocais – Minas Gerais. A ECJ Gongo Soco do empreendimento Mina de Gongo Soco anteriormente caracterizada como obra emergencial, foi implantada como medida de segurança das barragens de contenção de rejeitos de mineração. A estrutura tem como objetivo aumentar a segurança das pessoas que vivem em comunidades próximas, do meio ambiente e proteger as áreas a jusante.
Conheça o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e respectivo Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) referente ao projeto que visa subsidiar a regularização ambiental da Estrutura de Contenção a Jusante (ECJ) B3/B4, Barragem B3/B4 localizada no município de Nova Lima – Minas Gerais. A ECJ B3/B4 do empreendimento Mina Mar Azul anteriormente caracterizada como obra emergencial, foi implantada como medida de segurança das barragens de contenção de rejeitos de mineração. A estrutura tem como objetivo aumentar a segurança das pessoas que vivem em comunidades próximas, do meio ambiente e proteger as áreas a jusante.
Conheça o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e respectivo Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) referente ao projeto que visa subsidiar a regularização ambiental da Estrutura de Contenção a Jusante – ECJ Fábrica, Barragem Forquilhas e Grupo localizada nos municípios de Itabirito e Ouro Preto – Minas Gerais. A ECJ Fábrica do empreendimento Mina de Fábrica anteriormente caracterizada como obra emergencial, foi implantada como medida de segurança das barragens de contenção de rejeitos de mineração. A estrutura tem como objetivo aumentar a segurança das pessoas que vivem em comunidades próximas, do meio ambiente e proteger as áreas a jusante.
Conheça o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e o respectivo Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) referentes ao processo de regularização da supressão de vegetação necessária à obra emergencial de implantação do sistema da Linha de Vida (Lift Line), em continuidade à descaracterização da barragem Sul Superior na mina de Gongo Soco, localizada no município de Barão de Cocais – Minas Gerais.  A implantação do sistema da Linha de Vida objetiva garantir condição segura no acesso à área da barragem Sul Superior durante a realização de inspeções e manutenções na estrutura, mitigando a exposição de trabalhadores a riscos geotécnicos associados e evitando danos a barragem a médio prazo.
Conheça o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e o respectivo Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) referentes ao processo que visa subsidiar o licenciamento ambiental das obras para a implantação da Estação de Tratamento de Água em Rio Tanque - ETA Tanque, localizada no município de Itabira, Minas Gerais. O Projeto da ETA Tanque será implementado em cumprimento ao Termo de Compromisso SEI/MPMG – 0378270, em referência ao Inquérito Civil de 27/08/2020 (processo 0317.19.001379-5), firmado entre a Vale S.A. e o Ministério Público do Estado de Minas Gerais, com interveniência da AECOM do Brasil Ltda., do município de Itabira e do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Itabira – SAAE, o qual objetiva a implementação de estruturas de captação, estação de tratamento e sistema de adução de água proveniente do rio Tanque para abastecimento público do município de Itabira, a serem operadas pelo SAAE.
Conheça o Estudo de Impacto Ambiental – EIA / RIMA referente ao novo projeto de mineração APOLO UMIDADE NATURAL, localizado em área rural, entre os municípios de Santa Bárbara e Caeté, cujo escopo consistirá de lavra a céu aberto (14 Milhões t/a), tratamento de minério de ferro a seco e sem geração de rejeitos, pilhas de disposição de estéril e um ramal ferroviário, e cuja operação se estenderá por pelo menos 29 anos.

A documentação se encontra protocolada nos órgãos ambientais competentes para análise de concessão da Licença Prévia, que atestará a viabilidade socioambiental do projeto e permitirá avançar para as próximas fases do licenciamento ambiental.

Acesse o Estudo de Impacto Ambiental e o respectivo Relatório de Impacto Ambiental EIA-RIMA completos nos links abaixo:
Conheça o Estudo de Impacto Ambiental – EIA / RIMA referente ao projeto de Pesquisa Mineral Mina Alegria. Localizado na porção leste do Quadrilátero Ferrífero, no município de Mariana, a Pesquisa Mineral Mina de Alegria tem como objetivo principal avaliar o potencial geológico mineral na área de entorno da Mina de Alegria por meio da realização de furos de sondagem e coleta de amostras visando o conhecimento da localização das ocorrências minerais, determinação das reservas da jazida mineral e descrição das características do corpo mineralizado. A documentação encontra-se protocolada nos órgãos ambientais competentes para análise de concessão das licenças necessárias à sua implantação. Acesse os estudos completos:
Conheça o Estudo de Impacto Ambiental – EIA referente ao projeto de descaracterização da barragem Campo Grande, situada no município de Mariana/MG e que pertence a Mina de Alegria, da empresa Vale S.A. O projeto de descaracterização de Campo Grande tem como objetivo eliminar as características de barramento por método de alteamento a montante, e objetiva atender às premissas e determinações da Agência Nacional de Mineração (ANM), bem como às obrigações legais de segurança de barragem, especificamente o Art. 8º da Resolução nº 95/2022, o Art. 4º da Resolução Conjunta SEMAD/FEAM nº 2.784/2019, e o Art. 13, §1º, da Lei nº 23.291/2019. A documentação encontra-se protocolada nos órgãos ambientais competentes para análise de concessão das licenças necessárias à sua regularização:
Conheça o Estudo de Impacto Ambiental – EIA referente ao projeto remoção do Dique Permanente II, situada no município de Mariana/MG e que pertence a Mina de Fabrica Nova, da empresa Vale S.A. O projeto de remoção do dique Permanente II consiste na execução de escavações e aterros, tendo como fim a constituição de um novo sistema de controle de sedimentos, pré-sump e um sump no local. Essas ações visam eliminar as características que configuram a função de barramento do dique Permanente II. A documentação encontra-se protocolada nos órgãos ambientais competentes para análise de concessão das licenças necessárias à sua regularização:
Conheça o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e respectivo Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) referente ao projeto que visa subsidiar a regularização da supressão de vegetação para as obras emergenciais de investigações geológico-geotécnico na barragem de Miguelão, localizada nas adjacências de propriedade Vale S.A, próximo as minas de Tamanduá e Capitão do Mato.

Vale Notícias

Mantemos operações em 13 municípios de Minas Gerais. E, para seguirmos informados sobre os trabalhos realizados, contamos com o Vale Notícias, uma publicação que traz as principais ações da empresa nos territórios.

Selecione o território abaixo para visualizar as últimas atualizações:

Sociocultural

Sítios arqueológicos

Acreditamos no poder de histórias, tradições e cultura. Por isso, preservamos importantes sítios arqueológicos como as ruínas de Casas Velhas, Fábrica Patriótica e o Forte do Brumadinho, que abrigam o começo de nossa história na mineração. Que conhecer os locais onde estão preservados objetos e marcas desse tempo?

Fotógrafo: Ricardo Teles

Voluntários Vale

No programa Voluntários Vale encontramos valores que orientam a atuação da Vale, como a paixão pelas pessoas e pelo planeta, a vida como prioridade, o crescimento em grupo e a disposição para fazer acontecer. O programa conta com a participação de mais de sete mil pessoas, entre empregados e familiares, fornecedores, comunidades e parceiros.

Fotógrafo: Ricardo Teles

Meio Ambiente

Centro de Proteção e Educação Ambiental Mata do Jambreiro

A Vale mantém um Centro de Proteção e Educação Ambiental (CPEA) na RPPN Mata do Jambreiro. Essa é a maior e mais importante área verde protegida da Região Metropolitana de Belo Horizonte e recebe a visita de, em média, 12.800 pessoas. Conta ainda com representantes de 198 instituições de 16 municípios.

Fotógrafo: Ricardo Teles

Ecopraça Ciclo das Águas

A Vale implantou em sua unidade da Mina de Águas Claras (MAC) um método de tratamento de esgoto por sistema de wetlands, que usa materiais básicos, como brita e areia, além de plantas para tratamento de efluente. Além dos benefícios para o meio ambiente, o sistema também é mais econômico e oferece oportunidade para estimular a consciência ambiental.

Fotógrafo: 

TCA de Camburi 

Na Praia de Camburi, estamos realizando a recuperação da restinga e da área norte. Planejamos o plantio e manutenção de 25,5 mil mudas de plantas nativas em uma área de 140 mil m² - o equivalente a 14 campos de futebol. Já na área norte, estamos fazendo um grande trabalho de recuperação da faixa de areia que não é banhada pelo mar. As intervenções incluem a retirada do material composto por areia e minério de ferro e a recomposição com areia e argila em uma área de 43 mil m², equivalente a cerca de quatro campos de futebol. As ações fazem parte do Termo de Compromisso Ambiental (TCA) assumido pela empresa com o poder público e a comunidade.  

Fotógrafo: Ricardo Teles

Tecnologia

Centro de Desenvolvimento Mineral

Com mais de 50 anos de atuação, o CDM, localizado em Santa Luzia, é considerado o berço da estrutura de gestão tecnológica da Vale. Sua atuação é baseada em conceitos de inovação tecnológica e pesquisa aplicada, desenvolvendo estudos na área de minerais ferrosos, ouro, bauxita, caulim, carvão, cobre, níquel, fertilizantes, assim como titânio e terras raras.

Fotógrafo: Ricardo Teles

Centro de Tecnologia de Ferrosos

O CTF fica em Nova Lima e tem papel fundamental no desenvolvimento científico e tecnológico da Vale. Apresenta soluções em minério de ferro e carvão para o mercado e dispõe de avançados recursos para simulações. Também desenvolve um contínuo e arrojado programa de atualização tecnológica, com forte investimento no desenvolvimento de seus profissionais

Fotógrafo: Ricardo Teles

Destaques

Memorial Vale Minas Gerais

Trem de passageiros 

Fotógrafo: Ricardo Teles
Onda

Notícias

button-prev button-next
Ícone representando um carrinho carregado de minério.

Confira os resultados de Vendas e Produção do 4T22

O desempenho da Vale em Vendas e Produção no 4T22, já está disponível.

 
Artefato visual de onda Vale
Ícone representando um telefone tocando. Do lado esquerdo e superior da foto, há um bloco de cor e duas ondas, pertencentes a identidade visual da Vale

Confira as datas de divulgação do desempenho do 4T22

A Vale S.A. (B3: VALE3 e NYSE: VALE) convida para a divulgação de resultados do quarto trimestre de 2022.

 
Artefato visual de onda Vale
Ilustração da nova identidade visual do Vale Day 2022 em Nova York

Vale Day 2022 em Nova Iorque

A Vale S.A. (“Vale") promoverá reunião com participantes do mercado de capitais, em 07 de dezembro de 2022, na New York Stock Exchange (“NYSE”).

 
Artefato visual de onda Vale
Foto da parte de um carro azul onde coloca combustível.

Vale e GM assinam contrato de longo prazo para fornecimento de níquel, crítico para a cadeia de veículos elétricos da América do Norte

A iniciativa destaca a posição estratégica da Vale para ser o fornecedor de escolha para a indústria de veículos elétricos, alavancando sua baixa pegada de carbono e posição de liderança de mercado como o maior produtor de níquel refinado da América do Norte.

 
Artefato visual de onda Vale
Ilustração de figuras geométricas. Ao fundo uma figura representando o céu com sol. A outra parte da imagem é ocupada por um fundo verde e outro laranja e, em primeiro plano, há diversos triângulos verdes.

Assembleia Geral Extraordinária 2022

A Vale convoca seus acionistas para a AGE em dezembro. O prazo para inscrição é até dia 19 de dezembro

 
Artefato visual de onda Vale
seta-direita Deslize a tela para ver mais